Rússia não descarta enviar militares para Cuba e Venezuela

0
27

A Rússia elevou o tom novamente em sua disputa com o Ocidente sobre a Ucrânia ontem, com um importante diplomata se recusando a descartar o envio de um destacamento militar russo para Cuba e Venezuela se as tensões com os Estados Unidos aumentarem.

O vice-chanceler Sergei Ryabkov, que liderou a delegação russa nas conversas de segunda-feira com os EUA em Genebra, disse não poder “nem confirmar, nem excluir” a possibilidade de a Rússia enviar recursos militares para Cuba e Venezuela se as negociações falharem e a pressão dos EUA sobre a Rússia aumentar.

As negociações entre Rússia e EUA em Genebra e uma reunião subsequente entre a Otan e os russos não conseguiram diminuir a tensão nas demandas de segurança de Moscou em meio ao acúmulo de tropas russas perto da Ucrânia. Enquanto Moscou exigia a suspensão da expansão da Otan para o leste, Washington e seus aliados rejeitaram firmemente a opção.

Falando em entrevista à TV russa RTVI, Ryabkov observou que “tudo depende da ação de nossos colegas dos EUA”, apontando para o aviso do presidente russo, Vladimir Putin, de que Moscou poderia tomar medidas “técnico-militares” se os EUA provocarem o Kremlin.

Expressando preocupação de que a Otan possa potencialmente usar o território ucraniano para a implementação de mísseis capazes de atingir Moscou em apenas cinco minutos, Putin observou que navios de guerra russos armados com o mais recente míssil de cruzeiro hipersônico Zircon dariam à Rússia uma capacidade semelhante se posicionados em águas neutras.

O Zircon, que Putin disse voar a nove vezes a velocidade do som a uma distância de mais de 1.000 quilômetros, é difícil de interceptar e pode ser equipado com ogivas convencionais ou nucleares. Ele deve ser encomendado pela marinha russa no final deste ano e instalado a bordo de suas fragatas e submarinos.

Fonte Tribuna da Bahia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here